Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010

 

A 34ª edição da festa do Avante comemora os 25 anos da Carvalhesa, tema adoptado pelo Partido Comunista Português (PCP) em 1985 para uma campanha eleitoral realizada nesse ano. “Nunca ninguém pensou fazer da Carvalhesa uma espécie de hino da festa do Avante”, afirma ao Expressões Lusitanas Rúben de Carvalho, membro do Comité Central do PCP.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

A Carvalhesa é uma composição musical feita com base num tema popular português original de Trás-os-Montes, tendo sido adoptado pelo PCP em 1985, no âmbito das eleições legislativas desse ano, que elegeram Cavaco Silva (PSD) como primeiro-ministro.

 

Mais tarde, a Carvalhesa “passou a abrir e a fechar os palcos” instalados no Avante, que há 20 anos se realiza na Quinta da Atalaia, na Amora, Seixal, tornando-se com o tempo no hino da festa do PCP.

 

“Este é um exemplo de que a realidade acaba por ser muito mais forte do que as intenções. Nunca ninguém pensou fazer da Carvalhesa uma espécie de hino da festa do Avante, mas, o que é facto, é que quase nisso se transformou”, explica Rúben de Carvalho.

 

Para celebrar os 25 anos da Carvalhesa, vão ser realizadas várias iniciativas, nomeadamente no primeiro dia do Avante, 03 de Setembro.

 

“O concerto de sexta-feira será baseado em peças com origem em temas populares, como, por exemplo, a ‘Rapsódia em Blue’ de George Gershwin, tocada ao piano por Mário Laginha, ou uma peça de Sergei Rachmaninoff, interpretada ao piano por António Rosado”, detalha o membro do comité central do PCP e da direcção da festa.

 

Várias outras peças de origem popular serão interpretadas pelos dois referidos pianistas portugueses. O concerto terminará com a apresentação em Portugal e “pela primeira vez em público” da peça ‘Carvalhesa’ composta pelo maestro António Vitorino d’ Almeida, “encomendada” pelo PCP em 1992.

 

“O maestro António Vitorino d’ Almeida veio mais tarde a completar a Carvalhesa e constitui hoje uma das peças do seu reportório, gravada posteriormente por uma orquestra austríaca”, destaca Ruben de Carvalho.

 

Ainda no âmbito da comemoração dos 25 anos da Carvalhesa, será editado um DAVD, um disco que numa face apresenta a componente áudio e na outra inclui a componente vídeo.

 

Para além, entre outros, da versão de 1985 da Carvalhesa e de um novo ‘videclip’ realizado para o seu 25ª aniversário e realizado por João Cayatte, a edição comemorativa inclui uma gravação inédita de Fernando Lopes-Graça.



publicado por Expressões Lusitanas às 19:19 | link do post | comentar