Quinta-feira, 9 de Setembro de 2010

 

A SIC aliou-se à tradição de cerca de 50 anos de produção de ficção da TV Globo (Brasil) e do acordo entre as duas estações nasce “Laços de Sangue”, a estrear na antena da SIC na segunda-feira, 13 de Setembro. Os principais papéis são tripartidos entre Diana Chaves, Diogo Morgado e Joana Santos [na foto].

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

A apresentação da nova aposta da ficção nacional da SIC decorreu nos estúdios da produtora SP Televisão, no Cacém. Com a pomposa chegada dos actores e actrizes de “Laços de Sangue” de elevador e posterior pose para os fotógrafos, o evento contou com a presença do presidente do conselho de administração da Impresa (dona da SIC), Francisco Pinto Balsemão, e de alguns dos responsáveis pela estação de Carnaxide.

 

O enredo de “Laços de Sangue” conta com um triângulo amoroso e de interesses tripartido entre as personagens de Diana Chaves (Inês Nogueira), Diogo Morgado (João Caldas Ribeiro) e Joana Santos (Diana Silva).

 

A trama começa com um acidente ocorrido num rio, em que duas meninas são levadas pelas correntes. O pai consegue resgatar Inês, mas morre a tentar salvar a outra filha que, apesar de o corpo nunca ter sido encontrado, consegue escapar à fúria do rio pelas suas próprias mão e é adoptada por uma família que a encontra a vaguear no meio do mato. As duas irmãs são assim separadas.

 

Anos mais tarde, Diana descobre a verdade e solta dentro de si uma revolta contra a irmã Inês, a quem atribui a culpa de a empurrar para o rio, desencadeando o referido acidente e o afastamento de uma vida melhor.

 

Inês (Diana Chaves) apaixona-se por João (Diogo Morgado), uma relação que vai ser disputada por Diana (Joana Santos), em jeito de vingança.

 

“É uma história bem escrita e contada e com boas interpretações. Para além disso, tivemos mais cuidado com a cenografia, a iluminação e a direcção de actores, algo que resulta da mais-valia da parceria com a TV Globo”, afirma ao Expressões Lusitanas o director de programas da SIC, Nuno Santos.

 

O responsável considera ainda que “Laços de Sangue” tem os “condimentos necessários” para ser uma ficção de “sucesso”.

 

“Criámos todas as condições para isso, mas quem dá o veredicto são os espectadores. São eles que vão dizer se a história lhes agrada e se vão ficar presos à mesma”, afiança.

 

Um dos protagonistas de “Laços de Sangue”, Diana Chaves”, refere que a parceria entre a SIC e a TV Globo está a ser “a melhor possível”. “É ouro sobre azul”, garante.

 

A actriz, também apresentadora de “Salve-se Quem Puder” (SIC), sublinha que o público vai “criar laços” com a nova aposta da estação de Carnaxide.

 

“Pela história e qualidade, tratando-se de uma novela que tem muitos pontos altos. Todos os núcleos estão interligados, o que obriga a acompanhar sempre a trama”, detalha.

 

Diogo Morgado, outro dos protagonistas de “Laços de Sangue”, segue a linha de pensamento de Diana Chaves, ao referir que a “grande diferença” visível com a parceria entre as duas televisões materializa-se na “estrutura dos textos” e na “forma como a história está a ser divulgada e apresentada”.

 

Em relação ao triângulo amoroso, Diogo Morgado diz que será “um pouco enrolado”, porque a Diana (Joana Santos) “vai apanhar” a sua personagem “um bocadinho frágil”, motivo para “dar passos em falso”, “obrigando” a história a desviar-se para um “sítio menos positivo”.

 

“Vão haver jogos de engano”, assevera o actor.

 

Gravada na sua maioria em cenários portugueses, como Viana do Castelo, Lago do Alqueva e o Mercado da Ribeira, em Lisboa, “Laços de Sangue” viaja ainda até ao Brasil, país no qual foram gravadas cenas em São Paulo e Rio de Janeiro.

 

A nova novela da SIC conta com direcção de argumento de Pedro Lopes (SP Televisão), a supervisão de Aguinaldo Silva (TV Globo) e a direcção-geral de Patrícia Sequeira.



publicado por Expressões Lusitanas às 14:20 | link do post | comentar