Sexta-feira, 10 de Setembro de 2010

Foto: Gabriela Sobral (ex-braço-direito de José Eduardo Moniz) e Nuno Santos (director programação SIC)

 

A ex-braço-direito de José Eduardo Moniz, Gabriela Sobral, recente reforço da equipa de programação da SIC, afirma ao Expressões Lusitanas que saiu da estação de Queluz por “falta de capacidade” de “retenção argumentativa” e “emocional” da nova direcção da TVI.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

Gabriela Sobral trocou recentemente a TVI pela SIC, logo após a saída de Fátima Lopes da estação de Carnaxide para a rival de Queluz de Baixo.

 

“Fui calorosamente recebida. Encontrei na SIC um núcleo de pessoas muito simpáticas, receptivas e esperançosas por mudança. Para todos os efeitos estive 11 anos na concorrência”, refere ao Expressões Lusitanas, à margem da apresentação da nova novela da SIC “Laços de Sangue”.

 

A responsável acrescenta ainda que a televisão de Carnaxide tem “todo o potencial” para se tornar num canal “muito mais forte” do que “é actualmente”. Nesta óptica considera que a ficção nacional “vai dar uma ajuda”.

 

A saída do ex-director geral da TVI José Eduardo Moniz foi um “choque de consciência” e Gabriela Sobral percebeu que a estação de Queluz de Baixo “não estava assim tão sossegada e pacífica como imaginava”.

 

“A [nova direcção da] TVI não teve capacidade argumentativa e emocional para me reter. Eram capaz de ter mais sucesso, caso o tivessem feito. Pelos vistos, a nova direcção não me conhecia e sobrestimarem-me”, explica.

 

Notícias relacionadas:



publicado por Expressões Lusitanas às 20:44 | link do post | comentar