Sexta-feira, 12 de Novembro de 2010

 

 

É recém-licenciado e está à procura do primeiro emprego? Está empregado e não sabe se deve mudar de empresa? Lidou recentemente com uma situação de despedimento? Estas são as principais temáticas focadas no livro “Quero Um Emprego”, redigido por quatro jornalistas do Público e do Jornal de Negócios.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

A crise actualmente vivida no emprego foi uma “oportunidade” para o lançamento do livro. Por outro lado, a ideia subjacente consistiu em escrever um livro por portugueses e adaptado à realidade e aos leitores nacionais.

 

“Sempre que há mudanças ou há algo de novo na sociedade, começam a aparecer livros oriundos de outros países, que nada têm a ver com a realidade portuguesa”, explica ao Expressões Lusitanas um dos autores, Luís Villalobos.

 

“Quero Um Emprego!” está divido em três grandes partes. A primeira versa sobre o que se deve fazer na procura do primeiro emprego, sobretudo para os recém-licenciados. A segunda explana como e quando mudar de emprego “ou se é melhor ficar onde está”. Por último, a terceira parte fornece dicas para quem lidou com o despedimento e o que deve fazer para regressar ao mercado de trabalho.

 

“Nunca quisemos dar fórmulas fáceis e, por ler o livro, nada é garante de que um pessoa tenha um emprego ou o aumento de salário desejado. Pretendemos dar a informação real e fundamentada”, esclarece Luís Villalobos.

 

Ao longo da narrativa são apresentados pontos de vista de mais de 20 especialistas da área conjugados com vários casos reais, que “ajudam a humanizar” a informação presente, criando uma “maior empatia por quem lê”. “Há um ali um rosto”, refere ao Expressões Lusitanas a jornalista Raquel Correia, também autora do livro.

 

“A pessoa fica a saber que aquele caso aconteceu e que se passou com alguém. É também isto que distingue este livro de outros”, garante Luis Villalobos.

 

Como redigir um Curriculum Vitae e quais os erros a evitar no acto da sua elaboração, os cursos com menor e maior empregabilidade, conhecer bem a empresa, os seus responsáveis e o código de vestuário são algumas dicas para quem está à procura do primeiro emprego.

 

Por seu lado, quem já está empregado e pensa em mudar de emprego há vários pontos a ter em conta. “Se estiver numa empresa a dar sinais de despedimento, é necessário antecipar-se e pesquisar alternativas. Se está insatisfeito, tem incompatibilidade com as chefias, sente não ser valorizado ou angustiado logo de manhã, são sinais de algo que não funciona”, enumera Luís Villalobos.

 

“Apesar de o desemprego estar a níveis historicamente elevados, o mercado funciona e há empresas a contratar. Basta ver os anúncios nos classificados dos jornais”, acrescenta.

 

Manter a cabeça fria acaba por ser um “mal menor” perante uma situação de despedimento. “Tal ajuda quem foi despedido a conseguir negociar a sua saída, tanto a nível financeiro como emocional”, aconselha Raquel Correia.

 

Acima de tudo, é “preciso ter informação” nos dias que correm e “não se podem correr riscos”, que não sejam aqueles “minimamente calculados”, afirma.

 

“Quero Um Emprego!” é da autoria de Ana Rute Silva, Elisabete de Sá, Raquel Almeida Correia e organização de Luís Villalobos.



publicado por Expressões Lusitanas às 22:21 | link do post | comentar