Sexta-feira, 7 de Janeiro de 2011

Adam Boulton (Sky News) e Francisco Pinto Balsemão (Impresa)


A Internet apresenta um cada vez maior número de informação, “muitas vezes de desinformação”, em que a mesma “não é balizada” e “regulamentada”. Perante tal facto, Francisco Pinto Balsemão defendeu hoje que os ‘media’ servem para “seleccionar”, “ordenar” e “hierarquizar” a informação, de acordo com critérios deontológicos.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

“A Internet transformou-se numa lixeira”. Esta foi a frase que o director-geral da Google, Eric Schmidt, utilizou para definir o estado actual da rede e que o presidente do grupo Impresa citou para provar a necessidade da existência dos meios tradicionais de comunicação, num mundo em que os ‘smartphones’ e ‘tablets’ imperam.

 

Na conferência de celebração dos 10 anos da SIC Notícias, que decorreu hoje na Fundação Oriente, em Lisboa, Francisco Pinto Balsemão afirmou ainda que existe um “excesso” de informação – “muitas vezes de desinformação” – que “não é balizada”, “regulamentada” e é disponibilizada sob “a base do anonimato”.

 

Neste sentido, Balsemão defende que é “urgente” seleccionar, ordenar e hierarquizar a informação, de acordo com critérios deontológicos, função exercida pelos meios de comunicação.

 

“Os ‘media’ servem, ou devem servir, para separar o trigo do joio, salvaguardar a liberdade de expressão, veicular opiniões diferentes e ser um aguilhão perante a indiferença da opinião pública”, detalha o presidente do grupo Impresa, que detém a SIC, Expresso ou Visão.

 

Apesar de admitir que os meios e o “jornalismo profissional” são “efectivamente necessários”, Balsemão não ignorou o actual contexto de crise económica, que coloca os ‘media’ numa “situação difícil”.

 

O presidente da Imprensa afirma também que os grupos de comunicação adoptaram um modelo “errado” de negócio para a Internet, baseado na gratuitidade dos conteúdos disponibilizados ao público.

 

Neste contexto, Balsamão defende a “perseguição” à pirataria e a “luta” pelos direitos de autor, “cruciais” para o jornalismo. “Não se trata de uma obsessão capitalista”, remata.

 

A conferência de comemoração dos dez anos da SIC Notícias contou ainda com a presença do editor de política da estação britânica Sky News. Adam Boulton assinala o facto de o canal informativo português ser líder no conjunto dos canais temáticos transmitidos em Portugal via sinal codificado, um caso de estudo a nível mundial.



publicado por Expressões Lusitanas às 19:44 | link do post | comentar