Terça-feira, 18 de Janeiro de 2011

 

 

 

A jornalista da Agência Lusa, Helena de Sousa Freitas, foi distinguida com o Prémio Editorial Sociedade da Informação 2010, atribuído pela Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação (APDSI). Ao Expressões Lusitanas, a jornalista diz estar “muito contente” por tal distinção, facto que simboliza o “reconhecimento” do jornalismo de agência.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

A publicação de um dossiê com dez trabalhos jornalísticos sobre livros electrónicos (‘ebooks’) pela agência de notícias Lusa, entre os dias 19 e 29 de Novembro de 2009, valeu a Helena de Sousa Freitas a atribuição do Prémio Editorial Sociedade da Informação 2010.

 

Helena de Sousa Freitas refere ao Expressões Lusitanas não ter por hábito candidatar-se a este tipo de prémios. “Desta vez, olhei para o regulamento, pareceu-me adequado ao tipo de textos que escrevi e participei”, recorda.

 

A ideia de redigir este conjunto de textos partiu de uma proposta do director-adjunto de informação da Lusa, David Pontes. “Já tinha interesse no tema e sabia de alguns contactos”, afirma ao Expressões Lusitanas.

 

Os dez textos abordam a temática “em vários ângulos”, tendo em conta que o jornalismo de agência “não permite grandes textos”.

 

No processo de pesquisa e recolha de informação, Helena de Sousa Freitas falou com editoras de livros electrónicos e com as tradicionais, a fim de “saber se sentiam ameaçadas” por este novo negócio.

 

Chegou também à fala com a Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), “por causa dos direitos de autor”, e com a escritora e jornalista Cláudia Galhós, a primeira autora portuguesa a lançar um livro no ‘Second Life’, em Julho de 2007, intitulado “O Tempo das Cerejas”.

 

A jornalista da Lusa, que está actualmente a fazer um doutoramento no ISCTE, em Lisboa, assevera que a distinção agora atribuída é-lhe “muito importante” e, por outro lado, “reconhece” o jornalismo de agência, “muitas vezes não premiado, anónimo e feito para ser utilizado por outros órgãos de comunicação social”.

 

O prémio tem um valor de 3 mil euros e entre os critérios de avaliação figuraram a inovação, criatividade e descoberta na abordagem do tema, o grau de profundidade da investigação jornalística e o contributo do trabalho para a visibilidade e aplicabilidade dos benefícios da Sociedade da Informação.

 

O júri, presidido por um elemento da APDSI, incluiu representantes da Oracle Portugal, do Sindicato dos Jornalistas, do Governo (para a área das Tecnologias), de uma escola de jornalismo e do sector empresarial.

 

Nascida em 1976 e a exercer na Lusa desde 1998, Helena de Sousa Freitas é autora dos livros "Jornalismo e Literatura: Inimigos ou Amantes?" (2002) e "Sigilo Profissional em Risco" (2006).

 

Actualizada 21/01/2011 @ 13:08

 



publicado por Expressões Lusitanas às 13:48 | link do post | comentar

1 comentário:
De Amigos do Concelho de Aviz a 18 de Janeiro de 2011 às 15:37
A cultura deve ser preservada a todo o custo. Por isso peço desculpa por vir ocupar este espaço que é seu para, juntos, divulgarmos os IX JOGOS FLORAIS DE AVIS, cujo regulamento já se encontra disponível em www.aca.com.sapo.pt
Obrigado.
Fernando Máximo/Avis


Comentar notícia