Domingo, 13 de Fevereiro de 2011

 

 

Luísa Rocha é um nome desconhecido na música portuguesa. A sua praia é o fado, companheiro de há cerca de dez anos. Em metade deste tempo tem actuado em duas casas de fado lisboetas – Marquês da Sé e Clube de Fado. Participou no Festival de Zamora e teve uma pequena actuação ao vivo no filme “Amália”. No dia 31 de Janeiro, lança o seu álbum de estreia “Uma Noite de Amor”.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

O disco contou com a produção de Carlos Manuel Proença, acompanhante habitual de Camané, Carlos do Carmo, Mísia, Aldina Duarte, Paulo de Carvalho, António Zambujo ou Cristina Branco.

 

A Carlos Manuel Proença, que acumula mais uma produção de um disco de fado, juntou-se o seu “camarada de armas” e guitarrista José Manuel Neto, que toca em metade das faixas do disco, refere a agência de Luísa Rocha em nota enviada ao Expressões Lusitanas.

 

A guitarra portuguesa é igualmente dedilhada neste disco por outros guitarristas, como são os casos de Mário Pacheco, Custódio Castelo, Ricardo Rocha e Guilherme Banza.

 

Ainda na composição de “Uma Noite de Amor” marcaram presença Daniel Pinto (baixo acústico), Luís Clode (violoncelo) e os cantores Tó Cruz e Paulo Ramos que, com Luísa Rocha, dão voz ao tema de estreia intitulado “Dou-te Um Beijo (e Fujo de Ti), um fado-canção inédito de Paulo de Carvalho.

 

No disco de estreia de Luísa Rocha, a fadista exprime-se em temas originais e no repertório apreendido pela experiência e pelo contributo dos seus músicos. Algumas letras das canções têm a autoria de António Lobo Antunes, José Luís Tinoco, Mário Rainho, Ary dos Santos ou Vasco Graça Moura.

 

O texto crítico e de apresentação à imprensa foi redigido pelo ex-director da EMI Music Portugal. David Ferreira conclui que este disco se ouve “tão bem e tão depressa como se estivéssemos ali, Luísa cantando ao pé de nós. Não se espantem, pois, se alguém trocar o nome do disco e lhe chamar ‘Um Amor duma Noite’”, refere.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 12:09 | link do post | comentar