Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

 

 

 

O presidente da câmara municipal de Albufeira criticou esta quinta-feira os cortes feitos no sector do turismo e o clima de austeridade económica, factores que podem afectar o sector e a região do Algarve.

 

Daniel Pinto Lopes (enviado especial à BTL)

 

Desidério Silva criticou hoje a introdução de portagens na Via do Infante, o aumento da taxa do IVA, os cortes feitos pelo Turismo de Portugal no sector e a “falta de promoção” da TAP dos voos que efectua para Faro.

 

“Tudo isto não facilita o turismo no Algarve e pode causar danos na região e no destino Algarve”, referiu o autarca de Albufeira em declarações aos jornalistas, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que se realiza na FIL, em Lisboa.

 

“O discurso feito é que o turismo é necessário para o país, mas, na prática, não se vê nada disso”, aponta Desidério Silva.

 

Ao Expressões Lusitanas, o presidente da Entidade Regional de Turismo (ERT) do Algarve afirma que o edil de Albufeira “fez sentir” um constrangimento na área da promoção turística, “tal como em outras áreas do país”. “O nosso esforço é com menos dinheiro tentar fazer melhor”, afirmou Nuno Aires.

 

Será o discurso do presidente da ERT Algarve mais animador? “É uma questão de estilo”, remata o responsável ao Expressões Lusitanas.

 

O presidente da câmara de Albufeira defendeu ainda o “combate” à sazonalidade do turismo, com a existência de iniciativas fora do período do Verão, referindo-se em concreto ao Congresso Europeu de Confrarias Enogastronómicas, a ter lugar em 2011 e cuja candidatura foi ganha pelo Algarve, passando à frente de alguns países, como a Bélgica e a Grécia.

 

 



publicado por Expressões Lusitanas às 14:06 | link do post | comentar