Sábado, 26 de Fevereiro de 2011

 

 

A terceira edição do Festival do Amor decorre entre os dias 01 e 05 de Junho, em Beja, um evento que tem como objectivo “dinamizar” a economia local e é antecedido por um conjunto de iniciativas concebidas para o “promover” junto dos interessados, como o programa romântico “Beja-me Muito”.

 

Daniel Pinto Lopes (enviado especial à BTL)

 

O Festival do Amor teve início há seis anos atrás. Pelo meio, e por “razões políticas”, houve um pequeno interregno e regressa este ano para a sua terceira edição, explica ao Expressões Lusitanas o vereador do turismo da câmara municipal de Beja, Miguel Góis.

 

O festival baseia-se na figura de Mariana Alcoforado, freira do Convento de Nossa Senhora da Conceição, em Beja, e considerada autora das cinco Lettre Portugaises enviadas ao oficial francês Noel de Chamilly, que lutou em Portugal durante a Guerra da Restauração (1640-1668), sob as ordens de Frederico de Schomberg.

 

“São as cartas de amor mais conhecidas no mundo inteiro e, pegando na figura da Mariana Alcoforado, desenhámos um festival com foco central no amor e nas suas mais variadas vertentes”, detalha o vereador com o pelouro do turismo.

 

A ter lugar “exclusivamente” no centro histórico da cidade alentejana, o Festival do Amor pretende “dinamizar” e “puxar” pelo tecido sócio-económico do concelho e da região, adianta.

 

A nível musical, estão já confirmadas as presenças de Jorge Palma, José Cid, Lúcia Moniz, António Zambujo & Os Azeitonas, Irmãos Catita, Virgem Suta (banda natural de Beja) e Morango Tango.

 

O radialista Fernando Alvim vai lançar o seu novo livro no Festival do Amor. A gastronomia afrodísiaca vai estar representada por vários ‘chefs’, como o argentino Chakall.

 

A anteceder o evento está programado um conjunto de produtos turísticos concebidos para o “divulgar” e “servir como rampa de lançamento”.

 

Em parceria com um operador turístico local, criou-se o “Beja-me Muito”, roteiros nos quais “é sugerido onde tomar um pequeno-almoço romântico, onde passar uma boa tarde a dois”, entre outros, acrescenta o vereador do turismo ao Expressões Lusitanas.

 

Quanto ao número de visitantes esperados, Miguel Góis diz ser “difícil” fazer uma previsão, tendo em conta que se trata de um festival  polinuclear, ou seja, vários eventos vão acontecer ao mesmo tempo.

 

 



publicado por Expressões Lusitanas às 19:48 | link do post | comentar