Segunda-feira, 7 de Março de 2011

 

Fonte da imagem: RTP

 

O programa especial ‘Um Por Todos’ trouxe a Portugal alguns dos intervenientes da primeira série de ‘Príncipes do Nada’ e apresentou os doadores, membros da sociedade civil que vão ofertar produtos e material necessário à sobrevivência de alguns. A emissão teve lugar no dia de aniversário da RTP.

 

Daniel Pinto Lopes

 

“Ainda há muito a fazer no combate à pobreza no mundo”. Foi desta forma que Catarina Furtado abriu o especial ‘Príncipes do Nada’, fazendo assim referência aos oito Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), aprovados pelos 189 estados-membros na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque (Estados Unidos).

 

Entre os ODM figuram a erradicação da pobreza extrema e da fome, a promoção da igualdade de género e da capacitação das mulheres, o combate à SIDA, malária e outras doenças ou a redução da mortalidade infantil. Passados cerca de 11 anos, “muito ainda tem de ser feito”, referiu Catarina Furtado.

 

Pelo palco improvisado no Convento do Beato, em Lisboa, passaram os vários “príncipes e princesas do nada” e que marcaram presença na primeira edição do programa e oriundos de Moçambique (Enfermeira Laura), Cabo Verde (Maria Estrela, do Ateliê Mar), Guiné-Bissau (Sambel Baldé), São Tomé e Príncipe (Padre Domingos Carneiro) e Timor Leste (Otília Pereirinha).

 

“Dentro e fora do nosso país, o especial ‘Um Por Todos’ pretende alertar consciências, através de exemplos que devem ser contagiantes e promover compromissos que ajudem aqueles que mais sentem diariamente as desigualdades sociais”, escreve a RTP em comunicado entregue aos jornalistas.

 

Alguns telespectadores e empresas quiseram fazer doações aos príncipes do nada, entre os quais José Rodrigues dos Santos (jornalista da RTP), Lúcia Moniz (cantora), João Castro (grupo Visabeira), Rui Costa (director desportivo do Sport Lisboa e Benfica), Rosalina Machado (empresária) e Guilherme Pereira (fundação EDP)

 

A emissão solidária da RTP no dia do seu aniversário (07 de Março) trouxe ainda a público o trabalho desenvolvido pelo CASA (Centro de Apoio aos Sem-Abrigo), instituição que, diariamente, presta auxílio aos sem-abrigo nas zonas de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro, Setúbal e Região Autónoma da Madeira.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 10:41 | link do post | comentar