Terça-feira, 01.02.11

 

 

Decorrem até 15 de Fevereiro as candidaturas para o prémio “Jornalistas pela Igualdade, Saúde, Cidadania e Desenvolvimento”. O objectivo do galardão consiste em distinguir jornalistas cujos trabalhos se destaquem na promoção do conhecimento, informação e sensibilização sobre os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM).

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

O prémio é promovido pela Associação para o Planeamento da Família (APF), Associação das Nações Unidas – Portugal (ANUP), Conselho Nacional da Juventude (CNJ), Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) e conta com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) e Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), no âmbito do projecto “Roteiro 3456: Saúde, Igualdade e Desenvolvimento”.

 

De acordo com o regulamento a que o Expressões Lusitanas teve acesso, o prémio tem como objectivo distinguir trabalhos jornalísticos que “promovam uma actuação coerente” e a “correcta informação” sobre os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, nomeadamente aqueles que dizem respeito à promoção da igualdade de género e empoderamento das mulheres, redução da mortalidade infantil, melhoria da saúde materna e combate ao VIH/SIDA, malária e outras doenças.

 

Os interessados podem apresentar peças jornalísticas em suporte papel, vídeo digital e áudio e difundidos nos meios de comunicação social durante os dias 01 de Agosto de 2010 e 31 de Janeiro de 2011.

 

O prazo de candidatura termina no dia 15 de Fevereiro de 2011. O júri será composto por um elemento designado por cada uma das instituições organizadoras do prémio e por um(a) jornalista convidado(a) para o efeito e que será o presidente do júri.

 

Ainda segundo o regulamento, o valor pecuniário do galardão é de 3 mil euros. No caso de serem seleccionados dois trabalhos vencedores em ‘ex-aequo’, o valor atribuído será dividido e no mesmo montante a cada um/a dos/as vencedores/as. O júri poderá ainda decidir atribuir Menções Honrosas.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 16:11 | link do post | comentar