Terça-feira, 22.02.11

 

 

A RTP e a Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) homenagearam segunda-feira à noite várias personalidades que se destacaram em várias áreas da cultura portuguesa em 2010. O ensaísta Eduardo Lourenço foi distinguido com o Prémio Vida e Obra.

 

Daniel Pinto Lopes

 

A gala produzida em conjunto pela RTP e pela SPA realizou-se esta segunda-feira, 21 de Fevereiro, no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e teve transmissão em directo no primeiro canal da televisão pública. A apresentação esteve a cargo de Catarina Furtado.

 

Ao todo, foram entregues 22 prémios divididos por oito categorias a concurso e pretendem destacar personalidades que contribuíram para a cultura portuguesa no ano transacto.

 

“Todos os dias são dias do autor, porque, sem estes, não teríamos música, teatro, dança, artes visuais, entre outros. Seríamos tão pobres”, referiu o administrador da SPA. José Jorge Letria voltou a atacar e a “cerrar fileiras” contra a pirataria e acrescentou que o direito de autor é o “salário” de quem compõe, escreve ou filma.

 

Conheça os vencedores:

 

Categoria Cinema

 

Melhor Argumento: Carlos Saboga, em “Mistérios de Lisboa”

Melhor Actriz: Beatriz Batarda, em “Duas Mulheres”

Melhor Actor: “Cláudio da Silva, em “Filme do Desassossego”

Melhor Filme: “Filme do Desassossego”, de João Botelho

 

Categoria Artes Visuais

 

Melhor Exposição de Artes Plásticas: Exposição “Viva a República!”, de Henrique Cayatte

Melhor Trabalho de Fotografia: “Street Photography – Exposição Tributo”, de Rui Palha

Melhor trabalho Cenográfico: “Húmus”, de Luís Castro

 

Categoria Música

 

Melhor Canção: “Retrato”, da autoria de Mário Cláudio e de Bernardo Sassetti, incluída no álbum conjunto do fadista Carlos do Carmo e do pianista Bernardo Sassetti

Melhor Disco: “Mongrel”, de Mário Laginha Trio

Melhor Trabalho de Música Erudita: “Concerto para Piano”, de Sérgio Azevedo

 

Categoria Literatura

 

Melhor Livro de Ficção Narrativa: “Uma Viagem à Índia”, de Gonçalo M. Tavares

Melhor Livro de Poesia: “Depois de Dezembro”, de António Carlos Cortez

Melhor Livro de Literatura Infanto-Juvenil: “A Contradição Humana”, de Afonso Cruz

 

Categoria Teatro

 

Melhor Texto Original Português Representado: “A Casa dos Anjos”, de Luís Mário Lopes, apresentado pelo Novo Grupo Teatro Aberto e com encenação de Ana Nave

Melhor Actriz: Isabel Abreu, na peça “Blackbird”

Melhor Actor: Miguel Guilherme, nas peças “Senhor Puntila e o seu criado Matti” e “Blackbird”

Melhor Espectáculo: “Quixote”, de João Brites

 

Categoria Dança

 

Melhor Coreografia: “Paisagens… onde o negro é cor – Projecto Dedicatória 2010”, de Paulo Ribeiro

 

Categoria Rádio

 

Melhor Programa de Rádio: “Pessoal… e Transmissível”, de Carlos Vaz Marques (TSF)

 

Categoria Televisão

 

Melhor Programa de Informação: “Condenados”, de Sofia Pinto Coelho (SIC)

Melhor Programa de Ficção: “A Noite Sangrenta”, de Tiago Guedes e Frederico Serra (RTP)

Melhor Programa de Entretenimento: “As Horas do Douro”, de António Barreto e Joana Pontes (RTP)

 

 



publicado por Expressões Lusitanas às 04:54 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 10.02.10

 

Os prémios da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) e da RTP foram atribuídos segunda-feira à noite numa gala transmitida pela estação pública, na qual vários artistas nacionais foram premiados.

 

Expressões Lusitanas

 

O prémio Vida e Obra da SPA/RTP foi atribuído ao pintor Júlio Pomar.

 

No cinema, "Morrer Como Um Homem", de João Pedro Rodrigues, foi distinguido na categoria de Melhor Filme.

 

O galardão de Melhor Actriz foi atribuído a Margarida Carvalho pela interpretação no filme "Veneno Cura". Já João Lagarto recebeu o prémio de Melhor Actor pela participação em "4 Copas".

 

Na categoria de Música, a Melhor Canção foi para Cristina Branco, com "Margarida", do álbum "Kronos". O Melhor Disco foi atribuído a "Space Grace", de Dénnis González e João Paulo. O Quarteto Lopes-Graça, com "Música Portuguesa Para Um Quarteto", foi galardoado com o prémio de Melhor Trabalho de Música Erudita.

 

Na Literatura, o prémio de Melhor Ficção Narrativa foi atribuído a "Que Cavalos São Aqueles Que Fazem Sombra no Mar", de António Lobo Antunes. A distinção de Melhor Livro de Poesia foi para a obra "A Luz Fraterna", de António Osório. "O Tubarão na Banheira", de David Machado, ganhou o prémio de Melhor Livro de Literatura Infanto-Juvenil.

 

No Teatro, "A Orelha de Deus", encenado por Cristina Carvalhal, foi considerado o Melhor Espectáculo. Sílvia Filipe ganhou o prémio de Melhor Actriz pelas interpretações em "Esta Noite Improvisa-se", "Huis Clos" e "O Peso das Razões". O prémio de Melhor Actor foi atribuído a Henrique Feist pela interpretação em "Máquina de Somar".

 

Na categoria de Artes Visuais, a "Casa das Histórias", de Paula Rego, foi considerada a Melhor Exposição de Artes Visuais.

 

Na categoria de Dança, a Melhor Coreografia foi para Madalena Victorino com "Vale".

 

O júri considerou a "Grande Retrospetiva", de Eduardo Gageiro, como o Melhor Trabalho de Fotografia e "Crucificado", de Rui Francisco, como Melhor Trabalho Cenográfico.

 

Na Rádio, o programa "Encontros com o Património" (TSF), de Manuel Vilas-Boas, venceu a distinção de Melhor Programa.

 

Já na categoria de Televisão, o prémio de Melhor Programa de Informação foi entregue a Joaquim Furtado ("A Guerra/ 2.ª série"), emitido pela RTP.

 

O prémio de Melhor Programa de Ficção foi atribuído a "Conta-me como Foi", da RTP, e o de Melhor Programa de Entretenimento foi para "Gato Fedorento Esmiúça os Sufrágios", da SIC.

 

A Câmara de Cascais foi galardoada com o prémio de Melhor Programação Cultural Autárquica, da qual se destaca a realização do Estoril Film Festival e a construção da Casa das Histórias, que reúne obras de Paula Rego.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 03:10 | link do post | comentar