Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2010

 

Versão Áudio

 

Entrevista, edição e realização de Daniel Pinto Lopes

Duração: 4min42seg

 

As flautas de bambu de Rão Kyao misturam-se com as vozes de seis fadistas convidados, naquele que é o primeiro disco cantado do compositor, demonstrando a ligação que o cantor tem "desde sempre" em relação ao fado.

 

Daniel Pinto Lopes

 

"Em'Cantado" é um disco com dois lados: o lado A e o lado B. Rão Kyao diz que não estamos perante um certo saudosismo do tempo das cassetes.

 

"É mais uma alusão ligeira e um bocado humorística em relação aos lados A e B do 'LP'. É uma designação, não passa disso", explica.

 

No lado A pode ouvir-se canções interpretadas pelos fadistas em sintonia com a flauta de bambu soprada por Rão Kyao. O lado B é puramente instrumental e onde se verifica uma maior duração do tempo das músicas.

 

À partida pode-se considerar que são dois discos dentro de um, mas Rão Kyao prefere dizer que são "duas faces de uma mesma moeda e de um mesmo músico".

 

"Eu não toco com cantores na maior do tempo. Eu actuo com a flauta e esta é a cantora do meu grupo, com piano, percussão e, por vezes, com guitarra. Se eu não colocasse este grupo no disco estava a dar a imagem de estar a fazer só estas cenas com os cantores e passava ao lado desta parte, que é tão importante, vital e básica: eu como instrumentista a cantar com a própria flauta", afiança

 

Rão Kyao optou, desta forma, por juntar no mesmo disco o registo tradicional que tem vindo a habituar, mas, ao mesmo tempo, lança um novo, neste caso cantado pelas vozes do fado.

 

Já a ideia de juntar as vozes de fadistas de várias gerações com a flauta partiu do amigo António Pinto, que lhe falou do nome Em'Cantado, ou seja, "transformar as composições" de Rão Kyao "numa versão cantada, não só pela voz, mas também pela flauta".

 

"O Em'Cantando é uma coisa interessante. Fazer as minhas composições na versão em cantado, ou seja, agarrar numa série de temas meus para que possam ter esta versão cantada pela voz e, ao mesmo tempo, pela flauta, que se assume como um cantor que canta ao desafio com os outros fadistas", explica Rão Kyao.

 

Recorde-se que os fadistas convidados são Ana Sofia Varela, Carminho, Tânia Oleiro, Manuela Cavaco, Camané e Ricardo Ribeiro.

 

Rão Kyao sublinha que o processo de escolha "não foi rígido" nem "estanque". São fadistas com quem mantém um "contacto próximo" e considera que, da actualidade do fado, "são os melhores que há" e que teve a "sorte e a alegria" de poder trabalhar com eles.

 

Este sábado, o Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, recebe em palco Rão Kyao. O espectáculo vai combinar temas do lado A e do lado B, misturando-se, mas evitando que as mudanças de registo sejam bruscas para quem ouve.

 

Para este concerto, Rão Kyao diz que quem estiver ao vivo pode contar com "a surpresa" e a "certeza de que nenhum dos fadistas vai cantar da mesma maneira, nem a flauta vai estar em sintonia da mesma forma".

 

"Vamos transformar o CCB numa enorme casa de fados e tentar criar uma ambiente que transmita a intimidade destes temas", deseja.

 

Rão Kyao confidencia ao Expressões Lusitanas que se sente melhor quando toca ao vivo. O estúdio é "uma consequência" daquilo que faz e que lhe permite gravar os discos para os ter como "documentos".



publicado por Expressões Lusitanas às 20:18 | link do post | comentar