Segunda-feira, 27.09.10

 

O espaço LX Factory, em Lisboa, acolheu uma prova de vinhos alentejanos, numa iniciativa desenvolvida pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana. De uma forma “relaxada” e “simpática”, pretende-se que os consumidores entrem em contacto com os 61 produtores de vinho alentejano presentes. A animação musical coube aos Virgem Suta.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

O evento ‘Vinhos do Alentejo em Lisboa’ decorreu no LX Factory, na capital portuguesa, nos dias 24 e 25 de Setembro, durante o qual houve várias provas temáticas e conversas sobre vinho alentejano.

 

O objectivo consistia na “criação de um espaço” onde os 61 produtores de vinho alentejano pudessem apresentar os seus produtos aos consumidores.

 

“Pretende-se que, de uma forma relaxada e simpática, o consumidor entre em contacto com quem produz o vinho e que possa aprender alguma coisa sobre o tema”, explica ao Expressões Lusitanas a presidente da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana, Dora Simões.

 

Com este evento, a entidade quer “manter viva na mente dos consumidores” a existência do vinho do Alentejo. “Se não o promovemos, o vinho alentejano acaba por não ter a importância que hoje em dia tem”, afirma a responsável.

 

Dora Simões considera Lisboa um “mercado importantíssimo”, no qual os seus consumidores “demonstram uma grande apetência” pelo vinho alentejano.

 

Para os produtores, ‘Vinhos do Alentejo em Lisboa’ é visto como a “oportunidade” de o público da capital “provar todo o portfólio de vinhos”, desde os destinados a nichos de mercado ou ao circuito mais comercial.

 

Em 2009, a iniciativa teve lugar no Casino do Estoril e, para servir de “contraponto”, a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana escolheu este ano o LX Factory, na zona de Alcântara, em Lisboa, sobretudo pelo tipo de público presente.

 

“É mais conhecedor de vinho, com poder de compra e interessado por marcas. Por seu lado, o espaço em si é bastante movimentado e conta com várias empresas instaladas”, sublinha Dora Simões, que adianta ao Expressões Lusitanas o regresso do evento para o próximo ano, em local ainda por definir.

 

A dupla de Beja - Virgem Suta - foi a convidada musical desta mostra e prova de vinhos alentejanos, tendo em conta a forma como esta bebida alcoólica está “expressa” nas suas músicas.

 

“Há sempre um ambiente que sugere o convívio, brinde e, inevitavelmente, o vinho, o que faz com que as pessoas ligadas a este ramo gostem de nós e façam o convite”, explica Nuno Figueiredo, fazendo referência ao tema “Dança de Balcão”, que salienta as “virtudes do vinho”.



publicado por Expressões Lusitanas às 20:48 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 23.08.10

 

A vila alentejana do Crato recebe, entre os dias 25 e 28 de Agosto, a 26ª edição da Feira do Artesanato e Gastronomia, agora apelidada Festival do Crato. Tim & Companheiros de Aventura, Amália Hoje, Virgem Suta, OqueStrada, Orelha Negra, Nouvelle Vague ou UB40 são as atracções musicais.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

A vila do Alto Alentejo prepara-se para receber várias bandas nacionais e internacionais da actualidade, dj’s, novo circo, artes de rua e novos talentos locais.

 

No dia de abertura do Festival, 25 de Agosto, o fado será cantado pela voz de Alexandra Martins, seguida de uma homenagem ao Tango de Piazzola, com o projecto Quarteto em Mim.

 

O projecto Amália Hoje actua no mesmo dia às 23:45, com a presença em palco de Sónia Tavares, Fernando Ribeiro, Paulo Praça e Nuno Gonçalves.

 

No segundo dia, celebra-se a “world music”. As hostilidades vão ser abertas pela banda local Six Irish Men, grupo que funde a pop e a ‘folk’. Às 22:30, o palco é dos OqueStrada, seguindo-se, às 23:45, a actuação dos franceses Nouvelle Vague, grupo que vai revisitar vários clássicos ‘indie’ dos anos 80.

 

Liderados pelos compositores Marc Collin e Olivier Libaux, cantados por um naipe de intérpretes, “os Nouvelle Vague vão editar em Setembro dois novos álbuns, um deles cantado inteiramente em português, com versões de temas que marcaram a década de 80 da música nacional. Para tal, muito contribuiu a entrada da cantora luso-descendente Helena Nogueira, que integra a formação da banda desde o final de 2009”, explica a organização ao Expressões Lusitanas.

 

Na sexta-feira, 27 de Agosto, o Festival do Crato inicia-se com o tributo aos Pink Floyd realizado pelos Eclips, seguidos da dupla de Beja Virgem Suta, com concerto marcado para as 22:30.

 

Às 23h45, Tim apresenta o novo espectáculo com os seus Companheiros de Aventura - Mariza, Mário Laginha, Vitorino e Celeste Rodrigues (irmã de Amália Rodrigues) – e juntos vão interpretar temas originais e conhecidas composições de outros autores.

 

Para o dia do encerramento do Festival, sábado, 28 de Agosto, os UB40 deslocam-se ao Crato para “um concerto exclusivo em Portugal”, destaca a organização. O espectáculo tem início marcado para as 22:45.

 

O projecto musical conjunto de Sam The Kid, Dj Cruzfader, Fred Ferreira (bateria), Francisco Rebelo (baixo) e João Gomes (teclas) – Orelha Negra – encerra o cartaz do Festival do Crato, evento que nasceu em 1984.

 

Os Dj’s Nuno K, Rui Vargas e Tiago Miranda (Dezperados) asseguram diariamente o comando da pista após o término dos concertos.



publicado por Expressões Lusitanas às 17:23 | link do post | comentar

Terça-feira, 03.08.10

Foto: Igreja Matriz na Praça da Liberdade, em Entradas


A pacata vila de Entradas, perto de Castro Verde, no Alentejo, preparou-se a rigor para receber as gravações da série de ficção história da RTP “O Segredo de Miguel Zuzarte”. O ritmo tranquilo da localidade contrasta com o rebuliço da produção da série.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

O dia estava muito quente. Só apetecia estar à sombra. Por volta da hora do almoço, momento em que as gravações fizeram uma pausa, os habitantes de Entradas recolheram às suas casas. Não se via quase ninguém na rua.

 

A excepção reside, por agora, no Centro Cultural de Entradas, que, nos dias das gravações, é invadido pelo rebuliço normal da produção de uma série de alguma envergadura.

 

 

Grande parte da infra-estrutura é ocupada pelo vasto guarda-roupa, figurinos, espaço de maquilhagem e um cabeleireiro improvisado.

 

As refeições de todos os intervenientes (directos ou indirectos) na produção de “O Segredo de Miguel Zuzarte” são tomadas numa sala mais pequena do Centro Cultural. Um momento de convívio entre actores, produtores e alguns populares que por ali passaram.

 

“Estarem 40 ou 50 pessoas a trabalhar diariamente na produção de uma série é um factor de animação significativo [para a vila]. Quando se forem embora, a população vai estranhar”, afirma ao Expressões Lusitanas o presidente da câmara municipal de Castro Verde, Francisco Duarte.

 

Foto: Presidente da câmara municipal de Castro Verde, Francisco Duarte

 

Os figurantes de “O Segredo de Miguel Zuzarte” são habitantes de Entradas. Quem não teve a oportunidade de fazer parte da série, acompanha as gravações nas várias ruas adjacentes à Praça da Liberdade, o local de gravações.

 

Foto: Figurantes da série “O Segredo de Miguel Zuzarte”

 

Outros preferem acompanhar o “corta” e “grava” sentados na pequena esplanada do “Café Central, ponto de encontro e de convívio na localidade.

 

Foto: As gravações podiam ser acompanhadas no Café Central de Entradas

 

A desertificação em Entradas é notória. A vila, que actualmente alberga 600 habitantes, foi em tempos sede de concelho e chegou a ter perto de 1000 residentes.

 

O nome Entradas advém de ter sido a entrada para o então apelidado “campo branco”. Durante o Inverno, o gado proveniente da Serra da Estrela e de Espanha concentrava-se nesta zona, para além de ser taxado o imposto ao seu proprietário.

 

Por ocasião da Feira de Castro, que se realiza no terceiro fim-de-semana de Outubro, vai ser inaugurado o Museu da Ruralidade. Trata-se do “repositório da memória oral do concelho”, explica o edil.

 

“Algumas peças que poderão ser vistas no museu estão a fazer parte do cenário da série”, destaca.

 

Contudo, o espólio “principal” do museu não se traduz apenas em peças ou documentos escritos, mas em vídeos e gravações, ou seja, a “memória oral”, em que é “necessário” gravar os “testemunhos vivos” das gentes da terra.



publicado por Expressões Lusitanas às 14:05 | link do post | comentar

Sábado, 27.03.10

 

O Congresso de Turismo do Alentejo realiza-se pela primeira vez, com o objectivo de discutir as "principais temáticas" relacionadas com o desenvolvimento do turismo no Alentejo, região que fechou 2009 com os "melhores resultados de sempre" em dormidas.

 

Daniel Pinto Lopes

 

A cidade de Beja é a anfitriã do I Congresso de Turismo do Alentejo. Os principais temas em debate prendem-se com o desenvolvimento, organização e financiamento dos destinos turísticos em Portugal, lê-se no comunicado enviado ao Expressões Lusitanas.

 

Vai ainda ser discutida a importância de "qualificar e aumentar a oferta", elevando a região a "uma das melhores do país". Para isso vão ser reflectidas algumas considerações, como saber o que se "pode fazer para optimizar ainda mais os resultados" e saber o "que fazem os outros destinos estrangeiros para atrair turistas", pode ainda ler-se no mesmo comunicado.

 

O painel de oradores conta com a presença do ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Vieira da Silva, o secretário de Estado e do Turismo, Bernardo Trindade, o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva, o presidente do Turismo de Portugal, Luis Patrão, entre outros.



publicado por Expressões Lusitanas às 15:44 | link do post | comentar

Quarta-feira, 03.03.10

 

A campanha “No Alentejo Há Mais” foi relançada pelo Turismo do Alentejo, a fim de promover a região e “estimular” a ida de portugueses ao Alentejo. A “novidade” consiste na introdução de um passaporte que “premeia” a fidelização.

 
Daniel Pinto Lopes
 

A Entidade Regional do Turismo do Alentejo pretende “atrair” mais turistas portugueses para a região, através do relançamento da campanha “No Alentejo Há Mais”, que, em 2009, apresentou um resultado “muito significativo”, tal como salienta ao Expressões Lusitanas o presidente do Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva.

 

O passaporte “No Alentejo Há Mais” é a “novidade” na campanha deste ano, um novo elemento com o objectivo inerente de “fidelizar” o turista que “vai muitas vezes ao Alentejo”, através de ofertas em alojamento, restauração, lazer e atracções turísticas. Os visitantes podem habilitar-se a 250 fins-de-semana sorteados a partir de Setembro.

 

“No Alentejo Há Mais” resulta de um parceria público-privada, num investimento repartido entre a Entidade Regional do Turismo do Alentejo e os 350 parceiros privados associados.

 

O investimento público ronda os 400 mil euros para efeitos de “imagem”, de “campanha”, de “divulgação” e de um “spot televisivo promocional” para “atrair” turistas para o Alentejo. Já em relação ao investimento privado, o presidente do Turismo do Alentejo diz que é “muito difícil quantificar”, tendo em conta as “inúmeras” ofertas presentes.

 

O secretário de estado do Turismo, presente no relançamento da campanha, afirma que a aposta forte do executivo é no “mercado interno”, sobretudo porque “sente” que as próprias regiões estão “bem organizadas” e com “capacidade de iniciativa” para ter acções como “esta”.

 

Questionado pelo Expressões Lusitanas sobre se vão haver mais regiões do país contempladas com esta aposta, Bernando Trindade diz que “são iniciativas como esta que visam sobretudo mostrar a nossa realidade turística”, com “interesse” e “vontade”.

 

“É necessário comunicar a nossa realidade com competência. Se cada um de nós assumir a sua responsabilidade, Portugal cresce e, à sua dimensão, o turismo também cresce”, sublinha o secretário de estado do Turismo, Bernardo Trindade.

 

Um dos novos embaixadores da região, o actor Nicolau Breyner, refere que ser alentejano é “um estado de espírito” e uma “coisa que se sente”.

 

“É lá que eu quero estar. É o cheiro, são as coisas e as cores, é a vivência. Não tenho nem compro nada em Lisboa, porque não é a minha terra”, destaca.

 

O vocalista dos Xutos e Pontapés, Tim, outro dos embaixadores do Alentejo, “espera” estar à altura das funções que lhe foram atribuídas.

 

ÁUDIO dos intervenientes:

 

Presidente do Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva, traça as linhas gerais da campanha

 

Secretário de estado do Turismo, Bernardo Trindade, diz que "é necessário comunicar a nossa realidade" com "competência

 



publicado por Expressões Lusitanas às 16:11 | link do post | comentar