Terça-feira, 06.04.10

A banda de pop/rock The Hypers é a vencedora do XV Festival de Música Moderna de Corroios que “apoia” os grupos portugueses ainda desconhecidos. O próximo passo do vencedor é a gravação de um disco com seis temas.

 

Daniel Pinto Lopes

 

Os The Hypers, banda de Almada, venceram a final do Festival de Música Moderna de Corroios, que teve lugar no passado sábado, 27 de Março, no Cine-Teatro do Ginásio Clube de Corroios.

 

O grupo pop/rock e que interpreta temas em inglês vai gravar “com calma” um disco de apresentação com seis faixas, a partir do mês de Julho.

 

“Normalmente, as gravações em estúdio têm um certo ‘stress’ e, por vezes, os trabalhos são feitos à pressão. Neste caso as coisas vão ser feitas com muita calma”, explica ao Expressões Lusitanas o coordenador do festival, António Nabiça.

 

A banda vencedora vai agora ter “contacto com o estúdio”, porque se tratam de grupos que “quase nunca entraram” neste espaço.

 

“Vão ambientar-se ao próprio estúdio e quando as coisas estiverem em condições começam a gravar. Eles próprios também não têm pressa, porque estão em período de exames [escolares]”, detalha António Nabiça.

 

Em Agosto, os The Hypers vão subir a um palco e estar frente-a-frente com o público, já que estão convidados para actuar no primeiro dia das festas de Corroios.

 

Posteriormente há a “possibilidade” de fazerem uma reportagem fotográfica, a fim de servir de “divulgação” do seu trabalho.

 

Em tempo de crise, o coordenador do Festival de Música Moderna de Corroios, António Nabiça, confessa que o evento se realiza “com muito sacrifício” e “boa vontade das entidades que o promovem”, sobretudo, destaca, a junta de freguesia de Corroios e a câmara municipal do Seixal.

 

“Sem estes apoios era impossível realizar o festival, porque estamos a falar de grupos oriundos de vários pontos do país que estão a emergir e são desconhecidos, logo a sua capacidade de atrair público é muito pequena”, refere.

 

As entradas para assistir ao festival tinham um valor “simbólico” de três euros nas eliminatórias e de cinco euros na final, que, somando o número de pessoas a assistir, são valores que dão apenas para “cobrar os jantares” que são fornecidos às bandas em competição.



publicado por Expressões Lusitanas às 12:42 | link do post | comentar

Sábado, 27.02.10

O XV Festival de Música Moderna de Corroios recebe projectos musicais individuais ou de grupo de todo o país, com o objectivo de “apoiar” e “divulgar” a música portuguesa. O vencedor do festival grava um EP, com seis temas.

 
Daniel Pinto Lopes
 

O Festival de Música Moderna de Corroios, Seixal, começou em 1996, com o intuito de “divulgar” a música portuguesa, promovendo bandas e projectos musicais, “sejam individuais ou de grupo”, esclarece ao Expressões Lusitanas o coordenador do festival, António Nabiça.

 

São oito bandas a concurso oriundas de todo o país, competindo pelo primeiro lugar, cujo prémio é a gravação de um EP, com seis temas.

 

“A banda vencedora grava as canções e nós, organização, fazemos mil cópias para entregarmos à banda e para divulgação, sem intuitos comerciais”, detalha António Nabiça.

 

O festival já tem 15 anos e tem vindo a ganhar “projecção” a nível nacional, sobretudo pelos grupos que por lá passaram. Exemplos disso são os Yellow W Van, os Factos Reais, Sirius, da qual alguns elementos fazem parte da formação que acompanha António Manuel Ribeiro, vocalista dos UHF.

 

O coordenador do festival faz um balanço “positivo” destes 15 anos, tendo em conta que saíram grupos que “assinaram com editoras”, lançaram os seus discos e “fizeram carreira”.

 

António Nabiça adianta que nos primeiros anos do festival não havia “muita adesão” por parte do público, algo que, entretanto, tem vindo a ser diferente, atendendo ao “crescendo” de público que “acompanha” o festival.

 

Contudo, lamenta que ainda não há a “adesão desejada”, tendo em conta que por este festival passam grupos “com pouca exposição” e que estão a “dar os primeiros passos”.

 

“Como têm pouca exposição e não passam nas rádios, é um pouco difícil que haja muita correspondência por parte do público”, refere.

 

Uma forma de atrair mais espectadores para o festival consiste, diz António Nabiça, em “convidar” uma banda com “uma outra exposição” e que “tenha alguma ligação” ao festival.

 

Ao todo são quatro sessões com duas bandas em competição, num total de oito, das quais três chegam à final, que se realiza no dia 27 de Março.

 

A avaliação dos projectos ao vivo é feita pelo público e por um júri constituído por várias elementos, entre os quais músicos profissionais, elementos da comunicação social (críticos musicais) e organização. O júri tem um peso de 80 por cento na votação final, sendo os restantes 20 por cento responsabilidade do público presente no fim de cada sessão e na final.

 

O XV Festival de Música Moderna de Corroios realiza-se no Cine-Teatro do Ginásio Clube de Corroios, às 22:30 (hora de início). Conta com o apoio da junta de freguesia de Corroios e da câmara municipal do Seixal.



publicado por Expressões Lusitanas às 21:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)