Domingo, 07.06.09

     

 

Jorge Palma deu uma interessante entrevista ao jornal Expresso, bem redigida pela jornalista Alexandra Carita.

 

Fica aqui um pequeno excerto da entrevista. Pode ler na íntegra na página do Expresso indicada mais abaixo.

 

Confissões de Jorge Palma

 

Aos 58 anos, Jorge Palma vive o auge da popularidade. O sucesso agrada-lhe. Quer mais. Mas a saúde tolda-lhe o presente. Convive com as saudades do passado. Assume a boémia. Vê-se como um amador. Agradece a quem acreditou nele e pede desculpa a quem magoou.

 

O encontro estava marcado para as três da tarde. O local escolhido fora uma esplanada de um restaurante perto da casa dele em Lisboa. A acabar de almoçar, com o calor destes dias a embalar a digestão, a conversa arrancou lenta. Os óculos escuros escondiam-lhe o olhar. O sorriso abria-se entre músicas que ia cantando, avulso - Dylan, Xutos & Pontapés, dois versos de temas seus... "Em 40 anos de carreira, já fiz para aí umas 150 canções."

 

Acende cigarro atrás de cigarro. Tem à frente um copo de cerveja. Está cansado, depois de uma noite inteira sem dormir. O raciocínio balança de um lado para o outro, tal como a memória, que de repente se aviva: "Neste momento, tenho encomendas para teatro e cinema. E ainda por cima vou aparecer." De repente, pára. "Não posso falar destes projectos ainda", explica. Mas continua: "Tenho três dias para ler dois guiões e para compor. Trabalho sob pressão. É para amanhã, é para amanhã... Fiquei de fazer, faço."

 

Para ler na íntegra clique aqui.



publicado por Expressões Lusitanas às 22:46 | link do post | comentar