Quinta-feira, 12.08.10

 

Foto: Organização

 

David Blanco venceu hoje a sétima etapa da Volta a Portugal em Bicicleta, que uniu Idanha-a-Nova ao alto da Torre. Com esta conquista, o ciclista galego consolida a sua posição na classificação geral e pode antever a sua vitória na Volta. A tirada de hoje foi influenciada pelos incêndios que lavram em Portugal.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

A meio da manhã, a organização viu-se forçada a alterar o percurso da etapa rainha da Volta a Portugal em Bicicleta, por causa dos incêndios que lavram no concelho de Seia.

 

Os 168 quilómetros iniciais encolheram para 122,9 (menos 45 quilómetros) e o ataque à Serra da Estrela teve de ser feito via Manteigas. A passagem pelo alto do Carrazedo, uma contagem de montanha de primeira categoria, foi cancelada.

 

No maciço central da Serra da Estrela, o ar puro habitual deu lugar ao fumo e à queda de faúlhas provocadas pelas chamas que penetraram o Parque Natural, qualidade de ar pouco recomendada ao esforço exigido aos ciclistas.

 

 

Como tradição, vários populares rumaram à Serra da Estrela e, individualmente ou em grupo, escolhem um espaço para almoçar, conviver e assistir ‘in loco’ à passagem dos ciclistas.

 

 

 

Voltando à estrada, David Blanco consolidou hoje a sua liderança e está a três etapas de se sagrar vencedor da 72ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta.

 

Blanco chegou à meta instalada na Torre (contagem de montanha de categoria especial) em 3:26:59 horas, à frente do ciclista português Hernâni Broco, que tirou o segundo lugar na classificação geral ao espanhol David Bernabéu, que ocupa agora a quinta posição.

 

O terceiro ciclista a alcançar a meta na Torre foi o também espanhol Sérgio Pardilla.

 

Amanhã, 13 de Agosto, cumpre-se a oitava e antepenúltima etapa da Volta deste ano. Os ciclistas vão ter de percorrer os 169,9 quilómetros do percurso que liga Oliveira do Hospital a Oliveira do Bairro.



publicado por Expressões Lusitanas às 22:20 | link do post | comentar

Terça-feira, 10.08.10

 

O festival Sudoeste não é só música. O convívio, o divertimento, a praia e a aventura são outros dos motivos que levam milhares de jovens até à Zambujeira do Mar, uma vila que, nesta altura, “rebenta pelas costuras”.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

No caminho para a Zambujeira do Mar, feito maioritariamente por estreitas estradas nacionais, antevê-se a chegada ao destino apenas ao olhar para o pó que cobre os carros que por ali circulam.

 

O parque de estacionamento à porta do Sudoeste cobre qualquer carro acabado de lavar numa grossa camada de poeira, que dá azo à inspiração para a escrita de algumas mensagens.

 

 

Muitos aproveitaram o passe de cinco dias com direito a acampar junto ao recinto do festival. Uma boa opção para quem quer estar alojado lado-a-lado com os artistas favoritos. Contudo, é quase impossível dormir em sossego.

 

As actuações nos palcos do Sudoeste terminam com o sol quase a nascer. A animação continua nas tendas, com “djambés” e outros instrumentos musicais.

 

Por esta razão, há quem recorra ao parque de campismo da Zambujeira do Mar, que dista cerca de cinco quilómetros da Herdade da Casa Branca (local do festival). Aqui, a partir da meia-noite e até às 08:00, o silêncio é obrigatório, com risco de expulsão.

 

Durante estes cincos dias, a vila da Zambujeira “rebenta pelas costuras”. Os poucos minimercados existentes não conseguem dar conta do recado e extensas filas se formam no exterior. Alguns festivaleiros desesperam por comprar a comida e a bebida necessárias para aguentar o dia-a-dia do Sudoeste.

 

Outro local palco de enchentes é a praia. Só com alguma sorte se consegue arranjar um lugar para estender a toalha e colocar o chapéu-de-sol. Se for um grupo numeroso, a solução passa por sair do festival logo pela manhã.

 

 

Para além de se torrar ao sol e dar um mergulho no mar, a praia é uma oportunidade para alguns festivaleiros colocarem o sono em dia, tarefa complicada de se fazer no campismo do Sudoeste.

 

Entre as 12:00 e as 15:00 é o período crítico para se almoçar nos vários restaurante e cafés da Zambujeira do Mar. Há quem prefira pegar no carro e ir até um restaurante nas imediações.

 

Um exemplo é a Azenha do Mar, uma povoação que conta com algumas casas, uma praia com pedras (a erosão ainda não as desfez em areia), uma doca e um tradicional porto de pesca.

 

A grande atracção de Azenha do Mar é, porém, o único restaurante existente, sempre lotado. Passavam das 14:00 e a lista de espera continha 72 pessoas.

 

Já almoçados, os festivaleiros rumam até ao campismo no recinto do Sudoeste ou, em alternativa, instalam-se nas esplanadas dos cafés a conviver e a trocar experiências e impressões.

 

Pelas estreitas ruas da Zambujeira há sempre um espacinho para se venderem cervejas frescas, t-shirts, calças, fios e pulseiras de plástico e para se fazerem térérés e rastas. A maioria dos “comerciantes” é de nacionalidade espanhola.

 

 

Aliás, os nossos vizinhos estiveram em força no Sudoeste. Aproveitaram para ver alguns dos seus artistas favoritos e dar uma escapadela pelas praias portuguesas.

 

Durante os cinco dias, este cantinho do Sudoeste alentejano rejuvenesce e o turismo é próspero. Mal termina o festival, os jovens regressam às suas casas e a Zambujeira do Mar volta ao seu ritmo e à pacatez características.



publicado por Expressões Lusitanas às 00:13 | link do post | comentar

Domingo, 23.05.10

Foto: Agência Zero

 

Mariza inaugurou o Palco Mundo no primeiro dia do Rock in Rio – 21 de Maio. É a primeira fadista a pisar o palco principal do evento.

 

Foto: Agência Zero

 

Seguiu-se, por volta das 20:30, a actuação da “repetente” Ivete Sangalo. A baiana marcou presença pela quarta vez consecutiva no Rock in Rio Lisboa, mas tal facto não impediu que o público presente na cidade do rock tivesse ‘tirado o pé do chão’.

 

Foto: Agência Zero

 

Ivete Sangalo foi, no dia 21 de Maio, a última artista lusófona a pisar o Palco Mundo do Rock in Rio. Por isso, subimos a encosta do Parque da Bela Vista rumo ao palco Sunset, onde as músicas e a experimentação acompanham o pôr-do-sol.

 

Foto: Agência Zero

 

No palco mais original e aprazível para a vista (apesar de olhar se focar maioritariamente na envolvente do palco e não tanto no seu interior), estiveram, no dia 21 de Maio, os Azeitonas & António Zambujo.

 

Ao Expressões Lusitanas garantiram que o concerto conjunto se pautou pela “cumplicidade”.

 

Foto: Agência Zero

 

O Sunset foi posteriormente ocupado pelo ‘hip-hop’ de Boss AC e os ritmos angolanos de Yuri da Cunha, num concerto que, disseram os seus protagonistas ao Expressões Lusitanas, “superou as expectativas”.

 

Foto: Agência Zero

 

Os OqueStrada fecharam o dia de actuações no Palco Sunset com a apresentação dos seus três “Segredos de Portugal”, músicos e artistas desconhecidos que a banda de Almada quis promover e dar a conhecer ao público da cidade do rock.

 

Foto: Agência Zero

 

Na tenda ao lado – Electrónica -, destaque para as actuações de Soul Mates com Pedro Tabuada & King Bizz e ainda de Diego Miranda e a sua cantora Liliana.

 

Foto: Agência Zero

 

No dia seguinte, 22 de Maio, as actuações no Palco Mundo abrem com a presença do português João Pedro Pais. Após o seu concerto, e em entrevista ao Expressões Lusitanas¸ o músico mostrou-se “bastante satisfeito” pela sua prestação no Rock in Rio Lisboa 2010.

 

Foto: Agência Zero

 

Mais tarde, depois dos concertos dos britânicos Leona Lewis e Elton John, realiza-se um momento único e histórico, que consiste na reunião dos Trovante para um espectáculo no Rock in Rio.

 

A banda confessava em entrevista ao Expressões Lusitanas que já tinham “saudade” de subir a um palco.

 

Foto: Agência Zero

 

Muito antes da subida dos Trovante ao Palco Mundo tiveram lugar outros concertos e partilhas musicais no palco Sunset. No dia 22 de Maio coube aos Soulbizness e a Zoey Jones inaugurar o espaço musical.

 

Foto: Agência Zero

 

A fadista Mariza voltou a subir a palco no Rock in Rio, mas, desta vez, acompanhado pelo vocalista dos Xutos & Pontapés, Tim, e no Sunset.

 

Foto: Agência Zero

 

O trio lusófono Rui Veloso, Maria Rita e Toni Garrido encerrou o palco Sunset com o sol a pôr-se, fazendo jus ao nome atribuído ao próprio palco.

 

Foto: Agência Zero

 

Na Tenda Electrónica, dedicada aos sons ‘dance’, ‘house’ e ‘techno’, o destaque no dia 22 de Maio foi para a dupla de dj’s nacionais Manaia e Klipar – Zombies For Money.

 

Foto: Agência Zero

 

Para a semana, 27 de Maio, o Rock in Rio Lisboa regressa ao Parque da Bela Vista, desta vez com um cartaz de actuações dirigido a um público mais jovem e, no último dia, 30 de Maio, aos “metaleiros”.

 

Foto: Agência Zero



publicado por Expressões Lusitanas às 14:44 | link do post | comentar

Sábado, 20.02.10

 

 

O Expressões Lusitanas convida-o a enviar as suas fotografias sobre o temporal que se abateu na ilha da Madeira para expressoeslusitanas@gmail.com

 

Pode ainda escrever um relato dos acontecimentos, bastando para isso adicionar um comentário no espaço abaixo disponível para o efeito.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 21:24 | link do post | comentar

Sexta-feira, 03.07.09

Rui Reininho desdobra-se entre dois contextos musicais. Um é o mais marcante e o mais aclamado, o outro é novo e é a solo.

 

Começamos pelo primeiro. Os GNR subiram ao palco da Casa da Música, no Porto, para um concerto na noite de São João.

 

 

Rui Reininho com a mesma forma de sempre.

 

 

Agora, as fotografias do novo projecto a solo. "Companhia das Índias" é o nome do disco que Rui Reininho lançou sem os GNR. O som mais característico é, tal como o nome indica, o oriental.

 

 

Estas duas últimas fotografias foram captadas no concerto que Rui Reininho & A Companhia das Índias deu no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

 

Mais uma vez, o Expressões Lusitanas agradece a cordialidade do Ivo e do seu blogue, que está repleto de fotografias dos mais variados concertos.



publicado por Expressões Lusitanas às 14:41 | link do post | comentar

Quinta-feira, 04.06.09

O Rock in Rio 2010 foi apresentado no passado sábado, 30 de Maio, com um fogo de artifício na Ponte 25 de Abril e Jam Sessions com vários artistas nacionais.

 

 

Os artistas da música portugueses que marcaram presença na apresentação foram Luís Represas, Jorge Palma, Tim, Lúcia Moniz, Boss AC, Mariza, Fingertips e Toni Garrido.

 

 

O blogue Imagem do Som traduziu em qualidade fotográfica os momentos, a música, os duetos dos artistas portugueses convidados para a apresentação oficial de mais uma ediçao do Rock In Rio 2010.

 

 

 

O Rock In Rio já passou duas vezes pelo Parque da Bela Vista, em Lisboa. Depois do Rio de Janeiro, no Brasil, e de Lisboa, o evento chegou no ano passado a Madrid, mais concretamente a Arganda del Rey, nos arredores da capital espanhola.

 

 

 

Agradecimentos: IMAGEM DO SOM (Ivo Carvalho)



publicado por Expressões Lusitanas às 22:02 | link do post | comentar

Terça-feira, 14.04.09

No passado domingo, dia 5, realizou-se a festa da Rádio Festival, no Palácio de Cristal, no Porto.

 

                           

 

 

À semelhança dos anos anteriores, a Rádio Festival celebrou mais um aniversário com uma festa, juntando as caras que dão voz à rádio com os artistas portugueses que promove e com os ouvintes da estação.
 
                            
 
Pelo palco da festa da “rádio do Grande Porto” passaram, entre outros, Marco Paulo, André Sardet, Luís Represas, Mafalda Arnauth, Pedro Vaz, Irmãos Verdades, Classificados, Perfume, Neruda e José Malhoa.
 
                              
 
O blogue Imagem do Som esteve presente na festa de celebração dos 23 anos da Festival e conta, por imagens, um pouco do que por lá se passou. Clique AQUI.
 
                             

 

Agradecimentos: Imagem do Som



publicado por Expressões Lusitanas às 06:55 | link do post | comentar