Segunda-feira, 01.02.10

  

ÁUDIO:

 

 

Daniel Pinto Lopes

 

José Candeias regressa esta segunda-feira, 1 de Fevereiro, à rádio. A Antena 1 convidou o comunicador para fazer parte das renovadas manhãs da estação pública. “Orgulho” e “desafio” são as duas palavras que José Candeias atribui a este seu regresso. Para trás fica a passagem durante sete anos na Media Capital Rádios, da qual saiu recentemente por razões “não muito simpáticas”, sentindo-se “injustiçado”. O comunicador refere ainda nesta entrevista exclusiva ao Expressões Lusitanas que está concentrado e a apostar naquilo que agora está a fazer. Neste sentido, e para já, na circunstância, é “impensável” um futuro regresso à Rádio Renascença, emissora por onde começou aos 20 anos de idade. Mas a “vida dá tantas voltas”…

 

Expressões Lusitanas: Como classifica este seu regresso à rádio?

José Candeias: Com muito orgulho e é, de novo, um desafio a nível pessoal e profissional. Tenho novamente de mudar de horários e de acordar cedo, o que não deixa de ter algumas vantagens e uma ou outra inconveniência, mas tudo isso se supera pela parte profissional: o facto de voltar a fazer uma das coisas de que mais gosto. Um programa com vida. Nunca fui programado para fazer emissões de discos, porque acho que isso é muito fácil e não me entusiasma. O que é uma “dificuldade”? É poder saber que entro em antena às 05:00 e tentar descobrir uma história em cada ouvinte, como se fosse uma psicologia da rádio.

 

Expressões Lusitanas: Posso concluir que a interactividade com os ouvintes lhe faz falta?

José Candeias: Sim, faz-me falta pessoal e profissionalmente, porque gosto e vivo muito a rádio. Sinto-me realizado.

 

Expressões Lusitanas: O final da madrugada é o horário de que mais gosta? Recordo que já fez emissões à tarde…

José Candeias: Já fiz todos os horários! Neste caso, o horário 05:00-07:00 é entusiasmante, porque àquela hora as pessoas não têm poluição sonora e não estão invadidas por outras dinâmicas. A mensagem chega mais facilmente ao ouvinte. As pessoas interiorizam muito mais facilmente a mensagem. É uma estratégia não inovadora, mas esclarecedora daquilo que se pretende fazer no terreno, em que se vai apostar neste horário para se dinamizar a partir daí. Penso que é uma aposta que nos vai trazer bastantes alegrias.

 

Expressões Lusitanas: O José Candeias vai agora recuperar na Antena 1 um horário que fez anteriormente no Rádio Clube Português. Como surgiu o convite da rádio pública?

José Candeias: Diria que poderia já haver uma intenção. Saí da Media Capital [grupo que detém o Rádio Clube Português, entre outras emissoras de rádio] … Não vale a pena invocar aqui quaisquer razões, apesar de não terem sido razões, diria, muito simpáticas…

 

Expressões Lusitanas: Ainda se sente lesado?

José Candeias: Sinto-me injustiçado, mas a vida é mesmo assim. Perante este convite e uma situação de injustiça verifico que a Antena 1 apostou em mim e, sendo uma aposta da estação para vencer, este facto dá-me bastante boa energia, sabendo que estou com boas perspectivas de trabalho, no aspecto de poder fazer novamente aquilo de que gosto. De vez em quando, as transições são necessárias para surgir novas oportunidades…

 

Expressões Lusitanas: Ou seja, tem boas expectativas neste seu regresso à rádio, agora na Antena 1?

José Candeias: Só posso ter boas expectativas! Sempre fui muito teimoso. Sou ainda mais teimoso quando digo que a rádio não é um produto imediato, algo que já não se saiba há muito tempo. A rádio é um produto que tem de ser alicerçado. Lá diz aquela expressão “Estranha-se, mas depois entranha-se”. O facto de agora estar ligado novamente a este horário é para criar, de novo, um programa que o público merece.

 

Expressões Lusitanas: Vai ser fácil captar de novo os seus ouvintes do Rádio Clube para a Antena 1? Provavelmente, muitos ouvintes seus perguntam por onde estará o José Candeias.

José Candeias: Vamos começar por aí. Então, eu estou aqui na Antena 1 e o convite fica feito. É assim: eu já fiz o horário durante doze anos (no total). É preciso que se entenda que as pessoas que ouviam há 10/11 anos atrás poderão não ser as mesmas, mas foram essas pessoas que me deram o capital de valor. Gostando deste horário e de comunicar com o público, pretendo que aqueles que vão ouvir pela primeira vez sejam também os protagonistas. Aqueles que já ouvem há muito tempo estão igualmente convidados. Dou um exemplo: recebo um amigo em casa. Em primeiro lugar pretendo conhecê-lo, saber dos seus gostos e da sua capacidade de relacionamento. A partir do momento em que está em na minha casa e, sendo um convidado que conheço, vou procurar entusiasmá-lo – perdoe-me o exemplo – com um bom prato, um bom vinho ou com algo que o agrada. Em suma, é a natureza e a lei da vida e das coisas, mas transposta para a rádio.

 

Expressões Lusitanas: Não pondera a longo prazo o regresso à Rádio Renascença, emissora por onde começou?

José Candeias: Às vezes costuma-se dizer que o homem regressa às suas origens, mas, neste caso, não. Por uma razão muito simples: eu gosto de fechar ciclos e nunca as coisas seriam as mesmas. Mas, o futuro a Deus pertence e não quero fechar portas. Agora quero apostar naquilo que estou a fazer e nem tão pouco pensar, em qualquer circunstância, que possa ser alheia e que esteja para além disto, pois é perturbador e não cria a boa capacidade e energia para desenvolver aquilo que agora estou a fazer. [O regresso à Renascença] é impensável na circunstância. Agora que a vida dá tantas voltas… Isso não me compete a mim analisar, nem quero.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 05:00 | link do post | comentar