Quinta-feira, 03.02.11

Google


Lídia Jorge é homenageada pela sua terra natal – Loulé –, no âmbito da celebração dos 30 anos de carreira no mundo literário. Até ao dia 31 de Março decorrem na cidade algarvia várias iniciativas dedicadas à escritora, informa a edilidade em comunicado enviado ao Expressões Lusitanas.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

“O Dia dos Prodígios. Lídia Jorge. 30 Anos de Escrita Publicada” é o nome da exposição patente no Convento de Santo António, em Loulé, na qual se contacta com uma retrospectiva da carreira da escritora. A sua obra completa estará patente, que reúne mais de quinze livros editados em várias línguas, entre eles romances, antologias de contos e uma peça de teatro. A mostra termina no dia 31 de Março.

 

A 20 de Fevereiro, pelas 16:00, o recém-inaugurado Cineteatro Louletano exibe “A Costa dos Murmúrios” (2004), da autoria de Margarida Cardoso, filme realizado tendo por base o romance de Lídia Jorge.

 

As celebrações dos 30 anos de carreira da escritora retomam no dia 26 de Fevereiro. A Orquestra do Algarve apresenta no Cineteatro Louletano, pelas 21:30, o concerto “30 Anos de Escrita Publicada. Lídia Jorge”.

 

A 11 de Março, Minhoto Marques, António Carlos Cortês e Paulo Serra protagonizam a conferência “A Escrita de Lídia Jorge aos Olhos da Crítica Literária”, com moderação de Petar Petrov. O evento tem lugar no Convento de Santo António, a partir das 18:00.

 

O encerramento das comemorações acontece a 27 de Março (Dia Mundial do Teatro), pelas 21h30. O grupo do Teatro da Trindade sobe ao palco do Cineteatro Louletano para apresentar a peça “O Dia dos Prodígios”, com encenação de Cucha Carvalheiro e direcção musical de Carlos Mendes.

 

O elenco da peça é composto pelos actores Carlos Paulo, Cristina Cavalinhos, Elisa Lisboa, Diogo Morgado, Filomena Cautela, Hugo Franco, Lucinda Loureiro, Luís Lucas, Maria Ana Filipe, Maria Emília Correia, Maria Teresa Faria, Rogério Vieira.



publicado por Expressões Lusitanas às 11:15 | link do post | comentar

Quarta-feira, 09.06.10

 

O artista plástico José de Guimarães vai assinar a exposição do Festival Med, em Loulé, à semelhança do que fez Joana Vasconcelos na edição anterior. Entretanto, a organização confirmou novas bandas para subir ao palco Bica e Arco.

 

Expressões Lusitanas

Redacção

 

Os trabalhos do artista plástico José de Guimarães, que têm o corpo humano como principal temática, são reconhecidos em Portugal e além-fronteiras, descreve a organização do evento em comunicado enviado ao Expressões Lusitanas.

 

“Negreiros e Guaranis I” é o nome da exposição de José de Guimarães, que vai estar patente na Galeria de Arte Convento Espírito Santo, em Loulé, de 23 de Junho a 02 de Outubro.

 

No mesmo comunicado a organização adianta que estão confirmados nomes de novas bandas para subir ao palco Bica e Arco, de 23 a 26 de Junho, no centro histórico de Loulé.

 

Bandoo Roots, Amar Guitarra & Betty M, Tocando Polirando, Nanook, Guitarras Duo, Isa Brito, Atma, Draska, Nobre Ventura, Pucarinho, Flazzajados, Abmiram e Nuno Reis & The Positronics são os projectos que se juntam aos 22 nomes já anunciados para o palco Bica e Arco.

 

Step_Line Project e Clube Conguito (António Pires e Rodrigo Madeira) são mais duas confirmações para o palco Castelo.

 

O Festival Med é um evento de ‘world music’ organizado pela câmara municipal de Loulé, que se realiza entre os dias 23 e 26 de Junho.



publicado por Expressões Lusitanas às 17:32 | link do post | comentar

Sexta-feira, 04.06.10

 

Os projectos 3 Pianos e Andersen Molière, os Virgem Suta, Diabo na Cruz, Macacos do Chinês, Cacique 97, Mazgani, Orelha Negra e Zeca Medeiros são os novos nomes de artistas e grupos portugueses confirmados para o Festival Med, que se realiza em Loulé.

 

Daniel Pinto Lopes

Jornalista

 

Os Macacos do Chinês, um novo colectivo nacional, vão abrir as hostes do Palco Castelo, a 23 de Junho, o primeiro dia do Festival Med.

 

O grupo composto por Miguel Pité (Skillaz), André Pinheiro (Apache), Alexandre Talhinhas (Alx), e Tiago Morna vai apresentar “Ruídos Reais” disco de Março de 2009, que reúne composições originais com influências de ‘funk’, ‘soul’, ‘dubstep’, ‘grime’ e ‘hip-hop’.

 

Ainda no primeiro dia do festival, o compositor e realizador açoriano Zeca Medeiros sobe a palco.

 

“Com uma carreira de décadas no mundo artístico, apenas em 1999 Zeca Medeiros editou o seu primeiro álbum, 'Cinefilias e Outras Incertezas', em que apresenta ao mundo a sua voz rouca e profunda”, esclarece a organização em comunicado enviado ao Expressões Lusitanas.

 

O segundo dia do Festival Med, 24 de Junho, recebe os Cacique 97, “considerado o primeiro colectivo nacional de afrobeat”, explica a organização do Festival Med.

 

“Fundados em 2005, os Cacique 97 inspiram-se em Fela Kuti e nos seus ritmos ‘yoruba’ e ‘highlife’ africanos, ‘jazz’ e ‘funk’”, detalha.

 

O cantor e compositor português Mazgani acaba de lançar, em Abril deste ano, “Sons of Distance”, o seu mais recente trabalho, e vai apresentá-lo no palco Med, também a 24 de Junho, juntamente com os músicos que o acompanham: Alain Anastácio, João Fernandez, Rui Luís, Sérgio Mendes, Victor Coimbra, Marco Franco e Pedro Gonçalves.

 

Ainda no dia 24 de Junho, Andersen Molière, um projecto de jovens músicos portugueses celebrizado após ter vencido o concurso de talento “Rock Rendez Worten”, em 2009, vai estar presente no Med, em Loulé.

 

O colectivo é composto por Sá (guitarra e voz), Duarte (guitarra e voz), Alex (baixo), Vanessa (acordeão), João (violino), Paulo (bateria) e Diogo (percussão).

 

Bernardo Sassetti, Mário Laginha e Pedro Burmester compõem o projecto 3 Pianos, outra das propostas portuguesas que vai subir a um dos palcos principais do Festival Med, no dia 25 de Junho.

 

Os três pianistas reúnem-se num encontro inédito, durante o qual “emergem as suas formações clássicas, ‘jazz’ e contemporânea portuguesa, entre solos, duetos e trios, num repertório variado e com composições próprias e recriações de peças de Bach, Mozart, Béla Bartók e Ravel”, informa a organização.

 

Entre os temas que o projecto a três vai apresentar consta uma versão de “Traz Outro Amigo Também”, de Zeca Afonso.

 

No dia de encerramento do certame, 26 de Junho, actuam os Virgem Suta, o projecto de Jorge Benvinda e Nuno Figueiredo.

 

Este duo alentejano (de Beja) apresentará os temas do seu álbum de estreia homónimo, editado em Junho de 2009.

 

‘Virou!’, o recém-editado álbum de estreia dos Diabo na Cruz, vai igualmente marcar presença no Festival Med no dia de fecho.

 

A banda mistura o rock com a música tradicional portuguesa. Jorge Cruz, B Fachada, Bernardo Barata, João Pinheiro e João Gil vão subir ao Palco Castelo.

 

Francisco Rebelo (baixista) e João Gomes (teclista) dos Cool Hipnoise, o ‘rapper’ Sam The Kid (Samuel Mira), Fred, baterista dos Buraka Som Sistema e de vários outros projectos, e o DJ Cruzfader são os Orelha Negra, um projecto instrumental que mistura ‘funk’ e ‘soul’, ‘hip-hop’, ‘groove’, ‘samples’ e voz, que saiu da garagem depois de mais de 80 temas preparados, descreve a organização no mesmo comunicado.

 

"Orelha Negra" é também o título do primeiro álbum editado em Março deste ano, que vai ser apresentado no último dia do evento.

 

O Festival Med é composto por nomes da ‘world music’ nacional e internacional e terá lugar no centro histórico da cidade de Loulé, entre os dias 23 e 26 de Junho.



publicado por Expressões Lusitanas às 19:24 | link do post | comentar

Quarta-feira, 26.05.10

 

O Festival Med 2010, dedicado à ‘world music’, vai ter uma atenção especial ao “que de melhor se faz em Portugal”, explica a organização em comunicado enviado ao Expressões Lusitanas.

 

Expressões Lusitanas

Redacção

 

O Anaquim, quinteto liderado por José Rebola, vai estar presente no Festival Med para apresentar o álbum de estreia “As Vidas dos Outros”, que conta com a participação da vocalista dos Deolinda, Ana Bacalhau.

 

O projecto natural de Coimbra sobe ao palco Med no dia 25 de Junho.

 

Na edição de este ano do festival, o Palco Castelo vai ser dedicado em exclusivo a artistas portugueses.

 

Assim, o colectivo transmontano Galandum Galandaina, composto por Paulo Preto, Paulo Meirinhos, Alexandre Meirinhos e Manuel Meirinhos, tem a sua actuação agendada para o dia 25 de Junho.

 

Na mesma noite e no mesmo palco será a vez de Legendary Tigerman, o nome artístico de Paulo Furtado, subir a palco.

 

Os bilhetes para o Festival Med já se encontram à venda em várias modalidades e realiza-se entre os dias 23 e 26 de Junho, em Loulé.



publicado por Expressões Lusitanas às 19:13 | link do post | comentar