Domingo, 09.08.09

                         

 

Centenas de pessoas estiveram, este domingo, no Palácio Galveias para prestar homenagem ao humorista Raul Solnado, cujo corpo vai rumar ao Cemitério dos Olivais, onde vai ser cremado.

 
Entre as pessoas que quiseram prestar esta última homenagem estiveram ex-companheiros de palco, como Francisco Nicholson, Catarina Avelar, Alina Vaz, Manuela Maria, Nicolau Breyner, Vítor de Sousa, entre outros.
 
Também marcaram presença no Palácio Galveias outras figuras como o escritor Francisco José Viegas, o fadista Carlos do Carmo, o realizador José Fonseca e Costa, o cantor Pedro Abrunhosa e o apresentador Carlos Cruz.
 
A urna com o corpo de Raul Solnado, que faleceu no sábado de manhã, encontra-se na biblioteca do palácio rodeada de dezenas de coroas de flores e de um texto intitulado Um Vazio no Tempo, que conta uma experiência do autor, em que este descobriu «o seu Deus».
 
O corpo de Solnado vai seguir para o Cemitério dos Olivais pela Avenida João XXI, passando depois pelo Areeiro, Avenida Gago Coutinho, Avenida de Pádua e Avenida Infante D. Henrique.
 

Fonte: TSF (com adaptações)



publicado por Expressões Lusitanas às 19:54 | link do post | comentar

Sábado, 08.08.09

 

O actor Raul Solnado morreu este sábado às 10h50, aos 79 anos, na sequência da evolução de um quadro clínico cardio-vascular grave, informou a Direcção Clinica do Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

 

O funeral parte amanhã, às 18h00, para o cemitério dos Olivais. A cerimónia de cremação está marcada para as 20h00.
 
Raul Augusto de Almeida Solnado nasceu em Lisboa a 19 de Outubro de 1929. Entrou no mundo do teatro em 1947, enquanto actor amador, no Grupo Dramático da Sociedade de Instrução Guilherme Cossul.
 
Mais tarde, em 1952, profissionalizou-se e começou a construir uma carreira como artista de variedades e teatral, não pondo de lado a sua via humorística na rádio e na música.
 
Em 1960 adapta para português um sketch do espanhol Miguel Gila - "A Guerra de 1908" - e, em Outubro de 1961, interpreta-o na revista "Bate o Pé", no Teatro Maria Vitória. A edição em disco deste sketch, juntamente com outro muito popular - "A história da minha vida" -, bate todos os recordes de vendas.
 
A sua passagem pela televisão ficou marcada pelos programas "Zip Zip", "A Visita da Cornélia" ou ainda "O Resto São Cantigas".
 
A RTP preparava o regresso do actor e humorista à televisão, num programa ao lado de Bruno Nogueira, sobre 50 anos de humor em Portugal.
 
Pelo seu contributo, Raul Solnado recebeu, a 10 de Junho de 2004, a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.
 
Até à sua morte foi director da Casa do Artista, em Lisboa, instituição que fundou em 1999 juntamente com outros actores.
 
Fonte: Público


publicado por Expressões Lusitanas às 21:42 | link do post | comentar