Sexta-feira, 05.03.10

A Rádio Universidade de Coimbra (RUC) completa 24 anos de emissões em FM, algo que, de acordo com a administração, representa uma “grande vitória” por ainda estar no ar, naquela que é a única rádio-escola da Península Ibérica.

 
Daniel Pinto Lopes
 

A RUC comemorou 24 anos de existência no passado dia 1 de Março, uma data que simboliza “uma grande vitória” para a rádio universitária.

 

Ao Expressões Lusitanas, José Santiago, da administração da RUC, refere que a rádio começou por ser um “centro experimental” ainda nos anos 60 e foi a “responsável” pelo processo da lei da rádio no parlamento no tempo da atribuição dos alvará de transmissão (anos 80) às, na altura, rádios pirata.

 

A diferença entre a RUC e as restantes rádios reside no “carácter experimental”, pautando-se por ter uma “escolha à margem” e “fora do habitual” daquilo que se faz nas outras emissoras.

 

José Santiago refere ainda que a RUC, para além de “servir” a comunidade universitária de Coimbra, é a “maior fonte de informação” da cidade, tendo em conta que “não existe” mais nenhuma outra emissora de carácter local.

 

“Não nos fechamos na comunidade universitária, antes pelo contrário. Há outras pessoas a ouvir a RUC, sobretudo quando são feitos os relatos da Académica”, sublinha.

 

O responsável adianta que a RUC é a “única” rádio-escola a funcionar na Península Ibérica, responsável pela formação de mais de uma centena de estudantes e de pessoas que “querem aprender rádio”.

 

A grelha da Rádio Universidade de Coimbra é composta por “programas temáticos” e um variado leque de programas de autor. Tem sete noticiários nos dias úteis com informação sobre a universidade e todo o que lhe está associada, mas não só.

 

“Nunca esquecemos a cidade e temos a preocupação de mostrar o que se passa em Coimbra, porque não são só o estudantes que ouvem a rádio”, detalha.

 

No âmbito dos 24 anos, a RUC realizou uma emissão de 24 horas durante a qual foram recuperados sinais horários e “jingles” antigos e programas que já passaram pela antena, tentando, desta forma, “mostrar o que foram estes 24 anos de rádio”.

 

Amanhã, 6 de Março, e com repetição no dia 28, a RUC apresenta o evento “Música Imperfeita”, cuja filosofia passa por transformar as instalações da rádio num “instrumento criador de música”, com o objectivo de cada um se dirigir à emissora e “demonstrar a sua música” em antena.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 16:43 | link do post | comentar