Sexta-feira, 19.02.10

 

O ciclo “Sexta, Meia Noite e uma Guitarra” continua hoje com as canções e a sonoridade de Alexandre Soares (GNR e Três Tristes Tigres) e Ana Deus (Três Tristes Tigres), um percurso a dois que se cruzou nos “Três Tristes Tigres”.

 
Daniel Pinto Lopes
 

Hoje, à meia-noite, Alexandre Soares e Ana Deus apresentam-se neste ciclo de música “com um trabalho desenvolvido, numa primeira instância, para os “Nadadores de Inverno”, colectivo que partilham com outros músicos e onde Alexandre e Ana procuram, através da guitarra e da voz, encontrar, construir e criar esqueletos, mais ou menos descarnados, para as suas canções”, explica a organização do evento em comunicado.

 

O músico e compositor Alexandre Soares nasceu no Porto e estudou guitarra clássica durante alguns anos. Na década de 80 marcou a sonoridade dos GNR e, mais tarde, nos anos 90, a identidade dos “Três Tristes Tigres”, altura em que cruza o seu caminho musical com Ana Deus.

 

“Osso Vaidoso” vai hoje juntar no Cinema São Jorge, em Lisboa, as guitarras à voz, naquele que é o terceiro espectáculo do ciclo "Sexta, Meia Noite e uma Guitarra".

 

Cada espectáculo deste ciclo de música tem como base e ponto de partida o trabalho de um guitarrista, apresentado num "contexto de diálogo, mistura e experimentação com outras formas de expressão artística (cantores, actores, realizadores, outros músicos, entre outros)", informa a organização ao Expressões Lusitanas.

 

O "Sexta, Meia Noite e uma Guitarra" tem lugar todas as sextas-feiras até ao dia 5 de Março no Cinema São Jorge, em Lisboa.

 



publicado por Expressões Lusitanas às 14:07 | link do post | comentar

Sexta-feira, 12.02.10

 

O ciclo "Sexta, Meia Noite e uma Guitarra", em que este instrumento de cordas assume um "elemento integrante e integrador", prossegue hoje, em Lisboa, com o espectáculo de Louro & Lima e Edgar Pêra com "Estórias de Uma Lisboa Fora de Si", no Cinema São Jorge.

 

Daniel Pinto Lopes

 

O "Sexta, Meia Noite e uma Guitarra" teve início no passado dia 5 de Fevereiro, um espectáculo que teve lotação esgotada. A actuação "Tons de Fado" esteve a cargo de José Manuel Neto e Camané, onde a voz esteve conjugada com a guitarra portuguesa.

 

O ciclo de espectáculos "não é um festival de guitarras virtuosa", no qual a guitarra é um "elemento integrante e integrador do conjunto que faz a música, da guitarra criativa das melodias e das canções da música popular - no fado, por exemplo, ela é protagonista, mas não está sozinha em cena, é cúmplice da voz, faz perguntas, responde, sublinha e, em última análise, também conta a história ", explica a organização em comunicado enviado ao Expressões Lusitanas.

 

Cada espectáculo do "Sexta, Meia Noite e uma Guitarra" tem como base e ponto de partida o trabalho de um guitarrista, apresentado num "contexto de diálogo, mistura e experimentação com outras formas de expressão artística (cantores, actores, realizadores, outros músicos, entre outros)".

 

Hoje, à meia-noite, André Louro e João Lima (OqueStrada) "cruzam as artes distintas do piano e da guitarra portuguesa, instrumentos de tradições e sonoridades diversas que raramente se misturam, para a criação de uma identidade musical única e original", informa ainda a organização.

 

Para este espectáculo, João Lima convida o cineasta Edgar Pêra, que vai apresentar a vertente vídeo. "Cada uma das estórias ganha na tela uma forma visual que acentua os traços da sua realidade burlesca", tendo em conta que, no conjunto, "são as cenas que compõem o filme de uma Lisboa fora de si", refere a organização do evento.

 

O "Sexta, Meia Noite e uma Guitarra" tem lugar todas as sextas-feiras até ao dia 5 de Março no Cinema São Jorge, em Lisboa.

 

</style> </p>


publicado por Expressões Lusitanas às 09:34 | link do post | comentar