Quarta-feira, 18.08.10

 

O artista angolano Yuri da Cunha e a sua comitiva composta por seis pessoas envolveram-se em confrontos no aeroporto de Lisboa com um funcionário dos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), noticia o diário “i”.


Expressões Lusitanas


De acordo com o mesmo jornal, Yuri da Cunha e a sua comitiva pretendiam passar pela fila prioritária, regularmente utilizada pela tripulação e outros funcionários ou pessoas com dificuldades motoras.

 

O funcionário do SEF tentou barrar a passagem, mas sem sucesso, tendo em conta que os cerca de seis homens que acompanhavam o artista angolano “fizeram frente” ao funcionário, impedindo a detenção de Yuri da Cunha e a passagem pela fila prioritária.

 

Ainda segundo o “i”, “ficou por investigar a possibilidade de um crime de desobediência e de resistência e coacção sobre funcionário”.

 

O incidente teve lugar por volta das cinco horas da madrugada. Recorde-se que Yuri da Cunha subiu ao palco do Campo Pequeno, em Lisboa, para um concerto que teve lugar no passado dia 30 de Julho.



publicado por Expressões Lusitanas às 14:21 | link do post | comentar

Sexta-feira, 22.01.10

 

"Não confirmo nem desminto essa informação. Não quero falar nem comentar esse assunto. Mas agradeço a preocupação. Boa noite." E mais não disse José Cid quando contactado pelo i sobre a agressão de que teria sido vítima ontem à noite, em Cascais, quando se preparava para entrar no carro. *com "i"

Fonte próxima do cantor, porém, explicou ao i como tudo aconteceu. "Vários homens, encapuzados", que não o identificaram, terão obrigado o cantor a entrar no carro.

 

"Mandaram-no deitar-se de bruços no banco de trás do carro e sentaram-se em cima dele para não se poder mexer." A mesma fonte relatou ainda que, quando os assaltantes perceberam que estavam a agredir José Cid, o "ameaçaram para que não contasse nada às autoridades".

Mesmo depois de ter sido reconhecido, o cantor natural da Chamusca terá sido assaltado e agredido.

"Felizmente, não tinha cartões de crédito com ele, mas foi obrigado a dar todo o dinheiro que tinha. E ainda ameaçaram agredi-lo com mais violência se fizesse queixa à polícia", relata a mesma fonte ao i, acrescentando que José Cid já está a recuperar e "até já foi andar um bocado a cavalo hoje" [ontem].



publicado por Expressões Lusitanas às 14:14 | link do post | comentar

Sábado, 09.05.09

                             

 

 

O ex-vocalista do projecto Ala dos Namorados, Nuno Guerreiro, foi vítima de violência doméstica.
 
O músico diz ao jornal 24 Horas de sexta-feira que foi espancado pelo "amor da sua vida" e que ficou com muitas "marcas físicas na cara".
 
Tudo se passou há menos de um ano. O cantor esteve internado durante quatro dias no hospital, mas diz ter evitado que a situação fosse divulgada na imprensa recorrendo à utilização de maquilhagem para disfarçar as marcas.
 
Só os amigos mais chegados de Guerreiro souberam do sucedido.
 
A relação terminou e apesar de continuar a falar com a pessoa que o violentou, o cantor garante que a relação a que se dedicou a "200 por cento" não poderá nunca ser reatada, porque "nunca na vida se perdoa uma coisa destas".
 
"Isto mudou muito a minha maneira de ser e de estar na vida. Eu podia ter acabado naquele dia, podia já não existir, por isso agora quero é descobrir coisas novas e saborear o bom da vida", disse ainda, antes de apresentar os novos projectos.
 
Nuno Guerreiro vai enveredar por uma carreira individual, depois de ter terminado o projecto Ala dos Namorados. O fim da banda aconteceu, em parte, por causa da situação de violência doméstica: "Houve muitas pessoas que eu achava que estavam do meu lado e, quando isto me aconteceu, foi como se me tivessem dado um pontapé. Incluíndo colegas da Ala", acusa Guerreiro.
 
O nome artístico que o músico vai adoptar é Warrior. "Sou um guerreiro a lutar contra tudo e contra todos", diz.
 
O novo álbum será editado em parceria com o DJ Phil Kay já no próximo mês e marca uma passagem da música pop para uma sonoridade mais house: "Agora estou numa fase em que me apetece arrancar a camisa, rasgar-me todo".
 
"Para já, isto é apenas um apontamento da minha vida", diz, referindo-se ao novo projecto. "Em Agosto, espero já estar a gravar um disco a solo, mais dentro do meu género musical", conclui.
 
Fonte: Blitz e 24 Horas
Fonte da imagem: Blitz


publicado por Expressões Lusitanas às 23:04 | link do post | comentar